quando o felino decide dormir com você
A historia do meu amor por gatos é bem longa, começou com a minha mãe. A primeira gatinha que minha mãe teve era uma branquinha, o xodó dela, aonde minha mãe ia a gata ia atras. Carente, grande e bem peluda. Mas eu nunca soube a origem desses gatos, nunca me preocupei em perguntar onde ela encontrava-os, (na minha santa inocência de criança), eles simplesmente apareciam na nossa porta. A verdade é que sempre que ela encontrava um gatinho com fome ou sede, ela ia lá e os alimentava, e eles iam ficando. Só que esse ela tinha ganhado de uma vizinha. Enfim, minha mãe amava aquela gata. Uma noite, acordei atordoada com o barulho da minha mãe chorando pedindo leite ao meu pai. Quando finalmente tive a chance de entender a cena vi a tal gatinha estendida no chão com a boca cheia de espuma. Tinha sido envenenada. Minha mãe ainda tentou salvar, mas não conseguiu.

Depois desse acontecido, minha mãe levou anos pra pensar em ter outro gato. E no total, que eu me lembre, foram somente duas. A segunda que minha mãe tinha, ficou anos e anos com a gente, mas depois que minha mãe morreu, o pai levou a "nina" pra morar com ele e com a nova mulher dele. Nesse meio tempo a "nina" teve filhote. A "mel" é filha dela -que é a minha- chegou pra mim bem novinha, encontrei ela na área da minha antiga casa em uma manhã ensolarada. A principio não fiquei sabendo quem tinha deixado ela la. Depois de uns dias meu pai foi me visitar e perguntou se eu tinha gostado do presente. Mal sabe ele que foi o melhor presente que ele já me deu na vida.

Desde então não me sinto mais sozinha. Ela está sempre pertinho, seja pedindo carinho ou me acordando durante a noite enquanto entra embaixo das cobertas. E o que a gente pode fazer com isso (?) Nada alem de dormir toda torta pra não esmagar o felino embolado e quentinho que se encontra do nosso lado (!) Esses momentos são insubstituíveis.


As vezes me pego pensando na "nina". Quando meu pai se separou da antiga mulher, disse que quando foi tentar pegar ela pra trazer embora ela fugiu.
Será que ela ainda estaria viva depois de todo esse tempo?
Evito pensar nela porque isso me machuca, mas sinto muita falta dela.

Marcadores:


COMENTÁRIOS


  Fiquei muito triste com as duas gatinhas que não estão aí ): e quero imaginar que a Nina encontrou uma casa pra cuidar dela.
Eu tenho 3 gatos na casa da minha mãe, e tinha 2 junto com meu ex namorado.
Gatos são a minha vida, queria pegar todos.

✦ ✧ http://bruna-morgan.blogspot.com ✧ ✦

posted on 17 agosto, 2016


Blogger Thay
  Seu texto me fez lembrar na hora da Lexa, minha caitora bebê, que sempre arruma um jeito de subir na minha cama pra dormir comigo. Aí é aquela história: eu tentando me virar, mas sem atrapalhar o sono canino!

E, poxa, fiquei com o coração apertadinho pelo sumiço da Nina. Só nos resta torcer para que ela tenha encontrado uma boa família pra cuidar dela. ♥

posted on 18 agosto, 2016


Anonymous Mari
  Ai bichinhos de estimação são tudo o que tem de melhor no mundo, até hoje não entendo porque tem gente que judia ou maltrata um animal, sério! cães e gatos que convivo mais só são capazes de dar amor, puro e incondicional! entendo seu amor por gatos, se fosse por mim pegaria todos os cachorros do planeta e levaria para casa! hehehe quantas vezes não dormi torta por conta do meu cachorro dormir comigo. Realmente, espero que sua Nina esteja bem, e que tenha encontrado um lar que a ame, mesmo depois de ter sumido. Eles merecem todo amor do mundo!

Obrigada por comentar no meu blog, e amei sue layout, bem clean, mas sem deixar de lado personalidade! parabéns!!

bjs

posted on 18 agosto, 2016


Postar um comentário

Sinto-me extremamente grata por tirar um tempinho do seu dia, para me alegrar com seu comentário. Sua opinião a mim é muito importante. (Deixe o link do seu blog para que eu possa retribuir a visita.) Gratidão.

17 de ago de 2016 - Com Carinho, nnt
~next~ ~previous~